CLAF

Segunda a Sexta de 7h às 19h
Sábado de 7h às 12h

CLAF

(61) 3345-7679

Compulsão alimentar é uma doença? Como Controlar?

A compulsão alimentar tem sido um problema que afeta mais e mais pessoas, por diversas razões, trazendo impactos tanto físicos quanto emocionais.

Além de todo o preconceito envolvido com relação a essas pessoas, também existe muita desinformação sobre esse quadro.

Neste conteúdo, explicamos o que é a compulsão alimentar, quais as suas consequências  – físicas e emocionais – e ainda te mostramos as estratégias mais eficazes para controlar!

.

Afinal, o que é uma compulsão alimentar?

A compulsão alimentar é um distúrbio alimentar caracterizado por episódios recorrentes e incontroláveis de ingestão excessiva de alimentos em um período de tempo relativamente curto. 

Durante esses episódios de compulsão alimentar, a pessoa consome uma quantidade bem maior de alimentos do que a maioria das pessoas consumiria nas mesmas circunstâncias e sente uma falta de controle sobre a ingestão alimentar durante o episódio.

A compulsão alimentar é um distúrbio que está relacionado a questões emocionais e psicológicas, e não é simplesmente o ato de comer muito em uma única refeição ou ocasião. Os episódios de compulsão alimentar geralmente são acompanhados por sentimentos de culpa, vergonha e remorso após o término do episódio. As pessoas que sofrem de compulsão alimentar podem usar a comida como uma forma de lidar com o estresse, a ansiedade, a depressão ou outros problemas emocionais, e esses episódios muitas vezes ocorrem como uma tentativa de aliviar esses sentimentos negativos.

Alguns dos sinais e sintomas associados à compulsão alimentar incluem:

✅ Ingestão excessiva de alimentos em um período de tempo limitado, geralmente em segredo.

✅ Sentimento de falta de controle sobre a alimentação durante os episódios de compulsão.

✅ Comer rapidamente, independentemente da sensação de fome.

✅ Sentimentos intensos de culpa, vergonha ou remorso após os episódios de compulsão.

✅ Ingestão de grandes quantidades de alimentos, mesmo quando não está fisicamente com fome.

✅ Evitar refeições regulares ou pular refeições em antecipação a episódios de compulsão.

✅ Preocupação constante com peso e forma corporal.

.

É considerada uma doença?

Sim, a compulsão alimentar é considerada uma condição médica e um distúrbio alimentar reconhecido. Nos sistemas de classificação de doenças e distúrbios médicos, a compulsão alimentar é frequentemente diagnosticada como “Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica” (TCAP) ou “Binge Eating Disorder” (BED), em inglês. 

É importante destacar que se trata de uma condição médica distinta de outros distúrbios alimentares, como a bulimia e a anorexia.

O Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica é caracterizado por episódios recorrentes de compulsão alimentar, nos quais a pessoa consome grandes quantidades de comida em um curto período de tempo, acompanhados por sentimentos de falta de controle sobre a alimentação. Esses episódios são frequentemente acompanhados de sentimentos de culpa, vergonha e remorso após a ingestão excessiva de alimentos.

A compulsão alimentar é considerada uma doença devido aos seus impactos significativos na saúde física e emocional das pessoas afetadas e levar ao ganho de peso, obesidade e problemas de saúde relacionados, como diabetes tipo 2, doenças cardíacas e hipertensão

Além disso, a compulsão alimentar pode contribuir para distúrbios emocionais, como depressão e ansiedade.

A boa notícia é que a compulsão alimentar pode ser tratada, e existem abordagens terapêuticas eficazes, como a terapia cognitivo-comportamental, terapia nutricional e, em alguns casos, o uso de medicamentos. 

O tratamento é projetado para ajudar a pessoa a entender e lidar com os fatores emocionais ligados a essa compulsão e desenvolver estratégias saudáveis para gerenciar o comportamento alimentar.

.

O que fazer para controlar?

Controlar a compulsão alimentar é um desafio, mas é possível com o tratamento adequado e algumas estratégias eficazes. Aqui estão algumas medidas que podem ajudar a controlar a compulsão alimentar:

.

Buscar ajuda profissional

O primeiro passo é procurar ajuda de um profissional de saúde, como um psicólogo, psiquiatra, nutricionista ou terapeuta especializado em distúrbios alimentares. Um profissional pode realizar uma avaliação completa, diagnosticar a compulsão alimentar e desenvolver um plano de tratamento personalizado.

.

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A TCC é uma abordagem terapêutica comprovada para o tratamento da compulsão alimentar. Ajuda a identificar os pensamentos e comportamentos disfuncionais associados à alimentação compulsiva e a desenvolver estratégias para modificá-los.

.

Terapia nutricional

Um nutricionista pode ajudar a estabelecer uma alimentação saudável e regular, que pode ajudar a prevenir episódios de compulsão alimentar. É importante aprender a ouvir os sinais de fome e saciedade do corpo.

.

Autoconhecimento

Manter um diário alimentar e emocional pode ajudar a identificar padrões e gatilhos que desencadeiam a compulsão alimentar. Anotar o que você come, quando e como se sente emocionalmente antes e depois das refeições pode fornecer insights valiosos.

.

Estabelecer rotinas

Manter uma rotina regular de refeições e lanches pode ajudar a prevenir a fome excessiva que pode levar à compulsão alimentar. Planejar refeições equilibradas e respeitar os horários das refeições é importante.

.

Gerenciamento do estresse

Desenvolver estratégias eficazes para lidar com o estresse é fundamental, já que muitas pessoas recorrem à comida como uma forma de aliviar o estresse. A meditação, a ioga, a prática de atividades físicas e técnicas de relaxamento podem ser úteis.

.

Apoio social

Compartilhar suas lutas com amigos, familiares ou grupos de apoio pode ser reconfortante e oferecer um sistema de suporte valioso. O apoio de entes queridos e a participação em grupos de apoio apropriados podem ser benéficos.

.

Evitar restrições extremas

Evitar dietas rigorosas e restrições alimentares extremas pode ajudar a reduzir a sensação de privação, que muitas vezes leva à compulsão alimentar. Uma abordagem equilibrada e flexível à alimentação é geralmente mais eficaz.

.

Medicação (em casos específicos)

Em alguns casos, um(a) médico(a) pode prescrever medicamentos, como inibidores seletivos da recaptação de serotonina, para ajudar no controle da compulsão alimentar. Esses medicamentos são geralmente utilizados em conjunto com a terapia.

Lembre-se de que a compulsão alimentar é uma condição complexa e o tratamento pode ser um processo contínuo. O acompanhamento regular com um profissional de saúde é importante para monitorar o progresso e fazer os ajustes necessários no plano de tratamento. 

Com apoio adequado, muitas pessoas conseguem controlar a compulsão alimentar e melhorar sua relação com a comida e a saúde geral.

————————————-

Se você (ou alguém próximo) tem lutado contra a compulsão alimentar, saiba que buscar ajuda profissional fará toda diferença.

Nesse sentido, considere a Clínica CLAF como sua melhor opção. Dispomos de endocrinologistas experientes e atenciosos que farão a avaliação do do seu quadro para recomendar a melhor opção.

Se você está em Brasília ou Entorno, clique no link abaixo e venha cuidar da sua saúde conosco!

Quero agendar minha avaliação na CLAF

Powered By: Clínica da família