CLAF

Segunda a Sexta de 7h às 19h
Sábado de 7h às 12h

CLAF

(61) 3345-7679

Histerectomia

É a retirada do útero, podendo ser parcial (subtotal) , total ou radical.
Na histerectomia total todo o útero é retirado.
Na histerectomia parcial o colo do útero é poupado.
Na histerectomia radical todo o útero é retirado, bem como os ovários e os tecidos que ficam ao redor desses órgãos. Ela é indicada em alguns tipos de câncer.

Como a cirurgia de histerectomia é realizada ?

Existem quatro maneiras pelas quais se realizam a histerectomia atualmente.
A histerectomia abdominal, ou aberta é aquela em que se faz uma incisão cirúrgica no abdome da paciente semelhante à uma cesareana. Geralmente é indicada para úteros bem aumentados de volume, miomatosos. Sua desvantagem é que o tempo de recuperação é maior .


A histerectomia vaginal é realizada pela vagina da paciente, especialmente indicada em úteros pequenos , quando a paciente já teve partos vaginais , não possui aderências e tem prolapsos genitais, ou seja , o útero e bexiga se projetam para a vagina. O tempo de recuperação é rápido e não há cortes no abdome .
Na histeroscopia por via laparoscópica são realizados geralmente 4 pequenos furinhos no abdome , por onde são introduzidos os instrumentos cirúrgicos e a câmera óptica, que permite a visualização de todo o abdome.


A histerectomia laparoscópica é geralmente indicada quando a paciente apresenta endometriose associada à adenomiose, e assim os focos de endometriose e aderências são ressecados .
A histerectomia robótica é uma cirurgia semelhante à laparoscópica, onde são introduzidas pinças cirúrgicas através de pequenos orifícios no abdome da paciente. Porém, a câmera tem maior resolução, a equipe trabalha sentada , e o cirurgião manuseia o equipamento semelhante à um joystick , que permite movimentos amplos e muito precisos.

Quais as principais indicações para a histerectomia?

1 ) Hemorragias uterinas ( miomas , adenomiose ).
2 ) Hiperplasia endometrial (espessamento da camada interna do útero).
3 ) Prolapsos uterinos ( projeção do útero para fora da vagina ).
4 ) Câncer do endométrio.
5 ) Câncer de colo uterino.
6 ) Câncer de ovário.
7 ) Doenças pré malignas do colo uterino .
8) Doenças inflamatórias graves da pelve .
9 ) Rotura uterina no trabalho de parto .
10) Placenta percreta (que penetra o útero).

É necessária a retirada dos ovários na histerectomia?

Se a mulher não está na menopausa, e a indicação da histerectomia é uma doença benigna , o ideal é que os ovários sejam preservados. A retirada dos ovários leva a mulher à menopausa, o que pode causar osteoporose e problemas cardiovasculares.
Caso a mulher esteja na pós menopausa, os ovários devem ser retirados.

Qual o tipo de anestesia que é utilizada na histerectomia?

Geralmente na histerectomia abdominal ou por via vaginal , se utiliza a anestesia tipo raqui, aquela aplicada na região lombar.
Já na histerectomia laparoscópica é robó.
E robótica é sempre utilizada a anestesia geral.

Qual o tempo de recuperação após a histerectomia?

Normalmente, a alta hospitalar ocorre 24 horas após a cirurgia.
No caso da cirurgia laparoscópica, vaginal ou robótica, se orienta o retorno às atividades habituais em 2 semanas.
Já na histerectomia abdominal, o retorno é geralmente de 4 a 6 semanas.
A atividade sexual somente é liberada após 45 dias.
É importante que a paciente comece a andar precocemente , no primeiro dia após a cirurgia, para eliminar gases , e evitar trombose.

Miomectomia

Os miomas são nódulos benignos, que se originam na musculatura lisa do útero.
De acordo com sua localização podem ser classificados em subserosos (superficiais) , intramurais (localizados na parede uterina ) e submucosos (profundos, localizados na cavidade uterina).
Os miomas intramurais e submucosos são os que causam mais sintomas.


A Miomectomia é a cirurgia para retirada dos miomas, com preservação do útero.
Ela é indicada quando os miomas causam sintomas como : dor pélvica, hemorragia, cólicas menstruais, infertilidade ou comprimem a bexiga e o intestino . Também é indicada quando os miomas crescem muito rapidamente.

Como a miomectomia é realizada?

A miomectomia pode ser realizada das seguintes formas:

Qual o tempo de recuperação após a miomectomia?

Geralmente a alta hospitalar é realizada no dia seguinte após a cirurgia.
O tempo de recuperação varia de acordo com a técnica utilizada. Na miomectomia abdominal , varia de 1 mes a 45 dias ; e nas técnicas laparoscópica, histeroscópica e robótica , em torno de 1 a 2 semanas.

Qual a melhor técnica para realizar a miomectomia?

Caso o mioma seja submucoso , deverá ser retirado preferencialmente por histeroscopia .
No caso dos miomas subserosos e intramurais, a laparoscopia ou a cirurgia robótica são as mais indicadas . A cirurgia aberta ( miomectomia abdominal) é indicada no caso de úteros muito aumentados e com vários miomas.

Ooforectomia e Ooforoplastia.

A Ooforectomia é a retirada de um ou ambos os ovários. Geralmente é indicada no tratamento de câncer de ovário , tumores com grau de malignidade incerto e endometriose ovariana. Pode também ser indicada no caso de tumores mamários BRCA1 e BRCA2 para prevenção do câncer de ovário.
Se ambos os ovários forem retirados , a mulher entra na menopausa. Nesse caso, deve se avaliar a reposição hormonal para diminuição do risco cardiovascular, da osteoporose e dos fogachos.
A ooforoplastia por sua vez é a retirada da lesão com a preservação da maior parte do tecido ovariano. Geralmente recomendada no caso de cistos e tumores benignos.
Dependendo da indicação da cirurgia podem ser retiradas as trompas e o útero juntamente com os ovários.

Como a cirurgia é realizada?

Tanto a ooforectomia quanto a ooforoplastia podem ser realizadas pelas seguintes vias :

Como é a recuperação após a cirurgia?

Normalmente a paciente recebe alta hospitalar no dia seguinte após a cirurgia.
O tempo de recuperação geralmente é de 10 a 15 dias para a cirurgia laparoscópica e de 30 a 40 dias para a cirurgia aberta .

Cirurgia para endometriose profunda.

A Endometriose é o crescimento do tecido que reveste o útero internamente em locais como os ovários, bexiga , intestino e ligamentos úterossacros.
Ela é chamada endometriose profunda quando invade a estrutura mais que 0.5cm de profundidade.
A endometriose causa principalmente cólicas menstruais intensas, dor em baixo ventre, dor ao evacuar ou urinar e infertilidade.
O tratamento pode ser clínico ( hormonal ) ou cirúrgico.
O tratamento cirúrgico está indicado nos casos de : dor intensa e perda da qualidade de vida , obstrução intestinal , acometimento da bexiga e ureter, infertilidade, acometimento do apêndice e progressão da doença.

Como é feita a cirurgia da endometriose?

A cirurgia é realizada principalmente por via laparoscópica. São feitas pequenas incisões na pelve e na região do umbigo , onde sao inseridos uma câmera óptica e os instrumentos cirúrgicos.
Na cirurgia são removidos os focos de endometriose e as aderências. Dependendo do órgão afetado como a bexiga ou intestino, a cirurgia pode ser mais ou menos complexa, envolvendo ressecção de parte do intestino ou reimplante ureteral.
Caso haja cistos endometrioticos nos ovários, estes também serão removidos de acordo com a indicação médica
O tratamento pode ser clínico, realizado com hormônios como: anticoncepcionais, dienogeste, DIU hormonal , análogos do Gnrh e implantes hormonais , ou cirúrgico.
O tratamento cirúrgico está indicado quando não houve resposta ao tratamento clínico e a paciente apresenta dor intensa e perda da qualidade de vida , acometimento do ureter , lesão no apêndice, infertilidade, obstrução intestinal e progressão da doença.
E em cistos endometrióticos maiores que 6,0 cm .
O ideal é que todos os focos de endometriose e aderências sejam ressecados completamente na cirurgia, pois caso a cirurgia seja incompleta a paciente continuará a sentir dores .
Outra opção além da cirurgia laparoscópica é a cirurgia robótica, porém tem limitações devido a seu alto custo .
Nesse caso , as incisões são semelhantes às da cirurgia laparoscópica, porém o cirurgião coordenador os movimentos dos braços do robô através de um aparelho. Isso permite movimentos mais amplos e precisos , e uma visualização em 360 graus da cavidade abdominal.

Qual o tempo de recuperação após a cirurgia de endometriose?

Geralmente a alta hospitalar é dada 24h após a cirurgia.
O tempo de recuperação é de 7 a 15 dias.

A Endometriose pode voltar após a cirurgia?

Alguns estudos demonstraram que em 30% dos casos pode haver recorrência dos sintomas dentro de cinco anos após a cirurgia. Entretanto, quanto mais tecido for removido , menor a chance de recorrência. O uso de contraceptivos, DIU hormonal ou terapia hormonal também diminui as chances de recorrência.

CLAF
CLAF
CLAF
CLAF
CLAF
CLAF
CLAF
CLAF

Agende sua consulta conosco!





    contato

    Blog


    Explore nosso blog e descubra artigos informativos sobre saúde e bem-estar.


    Desequilíbrio hormonal: entenda os impactos na saúde e bem-estar

    Desequilíbrio hormonal é o tipo de alteração que pode influenciar praticamente todas as áreas do…

    Vasinhos nas pernas: causas, tratamentos e prevenção

    Apesar de não representarem maiores riscos para a saúde, os vasinhos nas pernas costumam gerar…

    Varizes na gestação: causas e como prevenir!

    Uma condição muito comum durante gestações é o surgimento de varizes e vasos dilatados; e…

    Cansaço excessivo: o que pode ser? Quando ir ao médico?

    Sentir-se cansado em certas situações do dia a dia é algo normal para todos, especialmente…

    Powered By: Clínica da família