Climatério

Vantagens e desvantagens da terapia hormonal na menopausa.

A menopausa é definida como a última menstruação devido à falência ovariana, porém só é confirmada após um ano do último fluxo menstrual. Geralmente ocorre dos 45 aos 55 anos, em média aos 51 anos.

Os ciclos tendem a se tornar mais espaçados, até pararem, mas algumas mulheres podem apresentar sangramentos irregulares e intensos antes do estabelecimento da menopausa.

Com a queda da produção de hormônios pelos ovários, ocorrem várias modificações físicas e comportamentais, dentre as quais podemos citar:

Fogachos – ocorrem em 75 a 85% das mulheres na menopausa, com duração de 3 a 5 anos, caracterizada por rubor na face, pescoço e tórax acompanhados por sensação de calor, sudorese, palpitações e calafrios.

– Ressecamento da vagina estreitamento do canal vaginal, causando dor às relações sexuais. Podem ocorrer também infecções vaginais pela mudança do PH vaginal

– Atrofia da uretra e da musculatura pélvica, o que pode causar perda urinária aos esforços, tosse e espirro.

– Vertigens.

– Diminuição da atenção e memória.

– Insônia.

– Diminuição do desejo sexual.

– Aumento do risco de doenças cardiovasculares.

– Osteoporose, aumentando o risco de fraturas principalmente nas vértebras e colo do fêmur.

– Alterações na distribuição da gordura abdominal, que passa a se depositar principalmente na região abdominal, relacionando-se a um maior risco de diabetes e doenças cardiovasculares.

-Queda de cabelos, afinamento dos cabelos e pele mais seca e frágil.

– Dores articulares e sensação de formigamento na pele.

Sabemos que o uso da Terapia Hormonal reduz ou elimina a maioria dos sintomas da menopausa. Entretanto, um estudo divulgado em 2002 pelo WHI ( Women’s Health Initiative ) com 27.000 mulheres americanas pós menopáusicas , com o útero intacto, submetidas à reposição hormonal com estrogênios conjugados equinos , na dose de 0,625 mg e acetato de medroxi progesterona 2.5 mg / dia , teve seu acompanhamento interrompido após 5, 2 anos de seguimento, porque a incidência de câncer de mama ultrapassou os limites de segurança pré estabelecidos, observando se um aumento de câncer de mama em 26% no número de casos nas mulheres que usavam esta medicação, em relação às que não utilizavam. Além disso, demonstrou um maior risco de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e tromboembolismo e uma diminuição do risco de fraturas de quadril e de câncer colorretal.

Apesar de algumas críticas em relação ao único tipo de hormônios, dose e via de administração ( via oral ) utilizadas neste estudo, ficou um importante alerta para a comunidade médica. Hoje, existe uma tendência mundial para a administração de baixas doses de hormônios, com a via de administração e o tempo a ser utilizado, individualizados para cada caso, pesando se os riscos e benefícios.

O uso de estrogênio transdermico (gel na pele) e progesterona natural (micronizada) parece ser mais seguro , especialmente para mulheres com alto risco de trombose venosa profunda.

Alguns estudos atuais demonstram ainda que a reposição hormonal iniciada em mulheres saudáveis, com idade inferior a 60 anos e que estão dentro de 10 anos do inicio da menopausa, pode proteger contra a doença cardiovascular e diabetes tipo 2, ao contrário do que acontece com as mulheres acima de 60 anos.

E os chamados hormônios bioidenticos? A Sociedade Brasileira de Climatério alerta que este termo vem sendo erroneamente empregado apenas para hormônios manipulados, como se fossem novas opções de tratamento, quando existem hormônios biodenticos , ou seja , com forma molecular semelhante à do corpo humano nas farmácias. Alem disso, as formulas manipuladas podem apresentar diferenças em relação às substâncias testadas pela indústria farmacêutica.

Assim, é importante se ter em mente que os hormônios bioidenticos são produzidos de maneira artificial, e não há estudos que atestem os benefícios e riscos dos hormônios manipulados.

Fale conosco

Centro Clínico Sul
Quadra SHLS 716, Conjunto L, Torre 1, Sala 06 e 08, Asa Sul, Brasília-DF.

61 3345.7679 | 61 3245.1455
Assessoria de imprensa

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?